Logo Bulk Services

Consumidor 4.0: você conhece esse novo perfil e sabe como lidar com ele?

por BulkServices



Compreender e satisfazer o consumidor 4.0 deve ser a preocupação de qualquer empresa que deseja manter a competitividade ao longo dos próximos anos. Isso porque os hábitos de consumo mudaram, trazendo consigo grandes desafios aos gestores em geral, independentemente do ramo de atuação.

Se, no passado, o consumidor era passivo, refém de estratégias de marketing que o induzia a comprar por impulso, hoje é o sujeito que dita as regras do jogo. Quem não desvendar os desejos desse novo perfil de cliente estará fora da partida.

Calma, não precisa se desesperar! Com as dicas deste artigo será possível engajar o seu público-alvo e agregar valor à sua marca. Acompanhe!

Conceito

Compreender a conjuntura na qual esse novo perfil de consumidor desabrocha é o primeiro passo para quem almeja elaborar estratégias de marketing mais eficazes. Sendo assim, abordamos, primeiramente, a indústria 4.0 e o marketing 4.0 para contextualizar esse universo.

Vamos lá! A sociedade contemporânea passa por transformações profundas de tempos em tempos, e a indústria 4.0 é uma representação dos avanços tecnológicos ocorridos nos últimos anos: IoT (internet das coisas), Big Data, Cloud Computing e IA (inteligência artificial) são alguns exemplos do impacto gerado pela tecnologia da informação.  

Essas ferramentas estão diretamente relacionadas à produção industrial, convergindo o mundo real com o virtual para apresentar soluções a um público cada vez mais exigente, antenado e conectado.

A infinita gama de informações e a conectividade sem limites, por sua vez, provocaram mudanças no comportamento das pessoas e, consequentemente, na reação da área de marketing, na qual destacou-se o acompanhamento da jornada de compra, muito mais extensa e complexa. 

Atento a essas transformações, o setor adaptou-se à nova realidade, desdobrando-se no que hoje conhecemos como marketing 4.0, cuja principal característica é o foco nas mídias digitais. O termo surgiu pela primeira vez no livro Marketing 4.0: do tradicional ao digital, escrito por Philip Kotler.  

Antes dessa etapa, porém, Kotler, reconhecido mundialmente como o pai do marketing, passou por outros três conceitos: 1.0, 2.0 e 3.0, todos com foco nas mudanças do mercado, no comportamento dos consumidores e no impacto disso para as empresas.

É importante ressaltar que esses conceitos não se substituem, mas são complementares. Enquanto o marketing 1.0 tem foco no produto, o 2.0 tem foco no cliente. Já o 3.0 muda o foco para o ser humano. O 4.0 prioriza o comportamento das pessoas diante da nova economia digital.

Muitas organizações pensam que o marketing digital se resume a ter um perfil ou página no Facebook e/ou site institucional. No entanto, ele vai muito além disso. Sim, o Facebook é importante na maior parte do mundo, porém, quando as pessoas estão na internet, elas navegam também no Google, Youtube, Instagram, WhatsApp, aplicativos e games, dentre outras possibilidades.  

Assim como no ambiente off-line temos a TV, o rádio, o jornal, a revista e o outdoor, na web existem diversas maneiras de divulgar e atingir o seu target, por meio de campanhas digitais, anúncios isolados ou gestão de conteúdo na internet.

Perfil do consumidor 4.0

O  novo consumidor de segunda geração quer resultados acima de tudo. Acostumado a realizar pagamentos, reclamações, contratação de serviços e outras pendências pelo celular, esse cliente quer se sentir especial, e não apenas mais um número das estatísticas.  

Nas redes sociais, ele busca informação que vai acrescentar algo em sua vida. Ele não quer só propaganda! Por isso, é preciso posicionar a sua marca de forma humanizada, próxima, com os mesmos valores e interesses, assim como um amigo.

O consumidor 4.0 busca informação de qualidade e conteúdo relevante. Por isso, criar apenas posts institucionais e promocionais para essas redes não atinge o retorno desejado.

Produção de conteúdo relevante

Entender o seu público, os seus hábitos, descobrir o que ele busca quando está na internet e gerar conteúdos que atendam às suas necessidades e expectativas é imprescindível para ampliar o alcance da sua audiência. Por isso, é importante entender o que o seu target deseja nesse ambiente e definir um perfil para a sua persona.

Portanto, para criar campanhas mais assertivas, é imprescindível criar um plano editorial para as suas redes e definir o que você vai abordar, quais editorias serão criadas e com qual frequência semanal você vai relacionar-se com essa persona.

Isso não significa que você não vai mais fazer propaganda. Pelo contrário, o conteúdo promocional é essencial para a conversão em vendas. A regra de ouro é mesclar as postagens com conteúdo institucional e promocional com outros materiais relevantes para o seu público.

Assim, as pessoas seguirão a sua empresa pela relevância do conteúdo que produz, não somente pelo produto ou serviço que ela vende. Com isso, você se tornará autoridade em seu segmento no ambiente digital e transformará o seu cliente em um fiel advogado da sua marca.

Presença omnichannel

O consumidor 4.0 cobra uma presença omnichannel da empresa, isto é, a convergência de todos os seus canais em apenas um. Para ele, é fundamental acessar o site e encontrar informações sobre as lojas físicas, fazer compras pelo aplicativo ou publicar algo de que goste em suas redes sociais, por exemplo.

A presença omnichannel é fundamental, não só para acompanhar o seu cliente durante o período em que ele permanecer fiel ao seu negócio. Ela o auxiliará também a localizar influenciadores e a criar estratégias para trabalhar com os “advogados” da sua marca.

Isso significa aproximar-se de influenciadores digitais que tenham afinidade com o nicho da sua marca. Ao conquistar o apoio dos chamados “advogados”, eles multiplicarão as potencialidades da sua empresa, pois desempenharão o papel de verdadeiros defensores.

Para qualquer canal, o recomendado é obter apoio em três frentes: autoridades, consultores e defensores, já que essas pessoas de fora da organização podem contribuir para reverberar a mensagem da sua companhia.

Tecnologia a favor do engajamento

Marketing de conteúdo não é criar post para Facebook ou qualquer outra rede social. Essa é apenas uma etapa do processo. É preciso estar presente em várias mídias: Facebook, Instagram, Youtube, LinkedIn, Google Plus, Twitter, jornais, revistas e emissoras de TV. No entanto, é indispensável programar uma estratégia, pois sem ter uma noção dos locais em que o público-alvo está mais presente, as suas ações perdem a eficácia.  

Plataformas de gestão financeira, atendimento ao cliente e automatização do marketing também são ferramentas valiosas para proporcionar uma boa experiência para o consumidor. Um exemplo é o WhatsApp marketing, que possibilita estreitar o relacionamento com o cliente por meio de mensagens curtas. 

O recurso permite esclarecer dúvidas, informar o status do pedido, fazer pesquisas de satisfação pós-venda e enviar mensagem felicitando o cliente pelo seu aniversário, entre outras possibilidades.   

Ampliar o alcance da sua marca na rede e engajar seus consumidores requer a adoção de medidas estratégicas, entre as quais entender profundamente os anseios e aspirações da sua persona, estar presente em diversos canais e investir na produção de conteúdo relevante para o consumidor.

A regra de ouro é saber diferenciar fidelização de engajamento. A primeira ação significa manter os hábitos de sempre, ou seja, comprar o mesmo produto, frequentar os mesmos lugares e escolher sempre a mesma opção. No segundo caso existe comprometimento com uma causa: o cidadão é convidado a participar das atividades de uma organização e adere à mercadoria ou ao serviço por convicção. 

Estar atento a esses e a outros aspectos vai garantir maior visibilidade e autoridade da sua marca perante o consumidor, o que trará resultados.

Se você gostou deste post ou tem sugestões sobre o consumidor 4.0, deixe o seu comentário. Adoramos interagir com você!

Comentários

Comentários