Logo BULK Services

9 dicas para criar uma campanha de marketing eleitoral efetiva

por BulkServices



Precisa criar uma campanha de marketing eleitoral, mas não sabe por onde começar? Pois saiba que, para obter bons resultados, é fundamental que haja uma gestão de campanha eficiente e efetiva.

Como o período eleitoral começa cedo para os candidatos, deve-se trabalhar com uma boa antecipação para conquistar a preferência dos eleitores e se destacar dos demais concorrentes. Mas, como aproveitar os dias de campanha para conseguir o máximo de votos? O primeiro passo é ter uma excelente estratégia de marketing eleitoral.

Por isso, neste post, preparamos 9 dicas infalíveis que, aliadas a técnicas e ferramentas modernas, vão ajudar na conquista do maior objetivo: ser eleito. Vamos a elas?

1. Faça um planejamento

Primeiro, é preciso definir quais são os principais objetivos da campanha de marketing eleitoral, a fim de avaliar todas as etapas que já foram realizadas. Anote todos eles e não se esqueça de colocar as metas (alianças, votos necessários, entre outras).

É importante constar no planejamento o cronograma estratégico, apontando os artifícios mais apropriados para conquistar o propósito da campanha. Sendo assim, anote todos os veículos online e offline que serão utilizados para a divulgação, bem como os responsáveis por acompanhar cada publicidade.

Abaixo, relacionamos as principais ações do marketing eleitoral para fazer um bom planejamento:

  • realização de pesquisas eleitorais;
  • horário eleitoral;
  • preparação para debates;
  • criação de peças e ações de campanha, como santinhos, jingles e slogans;
  • manutenção das redes sociais do candidato e campanha online;
  • proposição de eventos e de táticas de relacionamento direto com o eleitor.

Todas essas estratégias de marketing e comunicação combinadas são capazes de aproximar o candidato do eleitor. Isso gera engajamento e consegue transmitir confiança à população.

2. Analise os concorrentes

Essa é uma prática muito utilizada nas estratégias de marketing, e no cenário político não seria diferente. Observar os concorrentes é uma tática que revela diversos insights para a campanha. Não estamos falando de copiar o que o concorrente fez, mas sim de ter uma referência para criar ações mais produtivas.

Desse modo, faça uma lista com o nome dos principais concorrentes, e analise quais os aspectos que serão observados. Por exemplo, a presença digital (redes sociais, anúncios, site), a identidade visual, o discurso etc..

É relevante avaliar os pontos positivos e negativos de cada aspecto, pois possibilita comparar dados com a sua campanha de marketing eleitoral. Feito isso, será mais fácil identificar o que pode ser implementado de modo mais eficaz.

3. Pesquise sobre os grupos sociais ativos na região

É essencial consolidar a presença nas redes sociais. Em grande parte das regiões, sempre existe uma equipe de pessoas que luta pela conquista de objetivos sociais e políticos. Portanto, uma excelente estratégia é criar uma relação com essas lideranças. Esse é um caminho para firmar a imagem perante a comunidade.

Você sabia que os brasileiros só ficam atrás dos filipinos quando o assunto é o tempo gasto nas redes sociais? Esse é um ótimo motivo para o candidato estar nesse ambiente, já que ele possibilita aumentar a popularidade e conseguir os votos necessários para vencer.

Criar uma página em alguma rede social, além de gerar uma boa imagem de candidato antenado, permite uma interação rápida e eficiente com o público — sem contar a facilidade de compartilhar informações em ferramentas gratuitas ou bem mais econômicas do que no marketing tradicional.

4. Utilize o SMS e o WhatsApp Marketing

Para conseguir captar o eleitor atual, é fundamental ter uma comunicação que faça ele se sentir conectado.

O WhatsApp é um bom exemplo de uma comunicação personalizada, pois o envio de mensagens de texto, imagem, vídeo, áudio e links pode ser um grande aliado na conquista de votos. Essa é uma maneira muito eficaz de se aproximar do eleitor, visto que as pessoas olham bastante o celular ao longo do dia.

SMS Marketing é outra ótima estratégia, por ter uma abordagem mais direta, alcançando o público com precisão. Os eleitores são atingidos quase instantaneamente, pois a maioria das mensagens chega em poucos segundos; e o feedback é praticamente imediato, já que é possível saber rapidinho qual foi a percepção do destinatário.

O envio de SMS ou de conteúdos via WhatsApp para campanha de marketing eleitoral é uma estratégia bastante atraente, principalmente pelo fato de ser financeiramente acessível e por apresentar uma taxa de leitura muito alta.

Alguns cuidados essenciais

Por ser um texto curto, é bem difícil que seja ignorado. Além disso, é uma prática permitida pela legislação vigente, o que a torna mais viável aos políticos. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados:

  • não envie a destinatários cujos contatos você conseguiu em listas compradas. Pagar para adquirir uma base de dados é ilegal, além de pouco efetivo, pois é provável que o usuário fique irritado ao receber uma mensagem de uma pessoa pela qual não tem nenhum interesse;
  • envie apenas às pessoas que já saibam quem é você. Ou seja, cidadãos que tenham se inscrito em suas newsletters, ou que já tenham entrado em contato de alguma forma com sua equipe anteriormente;
  • sempre dê atenção para que a pessoa possa se descadastrar  e deixe de receber as suas mensagens, o que é exigido por lei;
  • não use a ferramenta simplesmente para pedir votos, mas sim para enviar assuntos relevantes e do interesse de seu público; e
  • sempre inclua sua assinatura e o seu número, para ser mais fácil fixar a informação na mente do eleitor.

Por fim, uma plataforma para disparo automatizado de SMS e WhatsApp pode ser a solução ideal para lhe ajudar nessa tarefa.

5. Pense em formas diferentes de fazer política

Os showmícios são proibidos por lei (Lei 11.300/2006), mas a gravação de jingles em campanhas por artistas é permitida, assim como a participação dessas celebridades em comícios. Portanto, pense em novas práticas e maneiras de fazer política. Afinal, para se destacar da concorrência, você deve ser diferente.

A máxima “em time que está ganhando não se mexe” deve ser esquecida em um setor que, a cada quatro anos, repete fórmulas porque até hoje elas têm dado certo. Em tempos de redes sociais, investir em novas formas de comunicação, sempre com foco na sua audiência, é o caminho para atingir o eleitorado.

E lembre-se: o marketing político tem o objetivo de encontrar a melhor forma para “vender” um candidato por meio de estratégias de comunicação.

6. Componha um hit

Os jingles políticos cumprem uma função importante: martelar o número do candidato na cabeça do eleitor. Em geral, as pessoas sabem qual o seu candidato para presidente, governador e prefeito. Mas dificilmente se lembram de alguém no momento de escolher um nome para deputado ou vereador. Sendo assim, acabam escolhendo na hora, pela música que está na mente.

A escolha do ritmo depende da região do país. Enquanto no Nordeste quase todos os jingles são feitos em ritmo de forró, xote ou baião, no Centro-Sul, o sertanejo universitário é quase unanimidade.

Também há paródias de hits conhecidos. Nesse caso, muda-se parte da letra para falar do político, por isso, é preciso fazer um acordo com o compositor. A música deve ser exclusiva de um candidato naquela cidade.

Um bom hit é aquele que permanece na cabeça do povo. Quem não se lembra do “Lula lá, brilha uma estrela”? A composição, original, foi escrita em 1989, e usada por Lula em cinco campanhas à presidência da República.

Toda campanha de marketing eleitoral é intensa, e a vitória é decidida nos detalhes. Portanto, tentar convencer o eleitor de que a sua mensagem é a melhor vai ser o caminho mais certeiro para alcançar os resultados nas eleições.

7. Não foque a campanha em promessas, mostre resultados

Se tem uma coisa que o eleitor não suporta mais é promessa. Os cidadãos clamam por resultados e querem provas do que o político pode fazer por eles. Por exemplo, uma campanha de marketing eleitoral com foco na reeleição de um candidato deve mostrar o que ele fez e deu certo. Ou seja, explorar os casos de sucesso.

Já quem está se candidatando pela primeira vez pode fazer uso de depoimentos de apoiadores que são respeitados pelos seus pares. O nome disso é endosso. Isto é, usar da credibilidade de alguém que confia em você para aumentar a própria.

Ao apresentar uma solução para um problema, mostre resultados. Aposte em cases de sucesso, depoimentos e no endosso.

8. Ofereça conteúdos relevantes para suas personas

Imaginemos que você é um candidato à prefeitura da sua cidade, formada por milhares e até milhões de cidadãos. Logo, seria muito difícil conversar com todos esses eleitores, não é mesmo? Então, você precisa segmentar. Para isso, deve enviar a mensagem certa para quem realmente tem chances de converter.

Para criar suas personas e conteúdo específico para cada uma delas é preciso ir de bairro em bairro ouvindo os problemas e descobrir o modo de pensar dos moradores. Assim, vai poder criar mensagens que falem exatamente do que os eleitores precisam.

Procure conhecer sua persona e entender suas dores para garantir uma comunicação efetiva, tornando sua mensagem relevante para ela. Conte, também, com uma série de dados qualitativos e quantitativos sobre essas personas. Isso permitirá falar diretamente com o seu público-alvo, o que aumenta consideravelmente suas chances de sucesso.

9. Desenvolva uma marca política

Uma das coisas mais importantes para um político é a criação da sua marca. Alguns querem ser reconhecidos como representantes da saúde, da educação ou dos animais. Já outros querem ser vistos como entendedores de economia ou representantes de uma parcela desfavorecida da população.

Seja qual for a marca almejada pelo parlamentar, o marketing político pode ajudar a construí-la na percepção do seu eleitorado. Para isso, profissionais precisam aplicar táticas de branding, que se assemelham àquelas utilizadas por grandes empresas, como Apple, Adidas ou Nestlé.

Nesse momento, o candidato deve se diferenciar dos outros, mostrando um posicionamento superior.

O marketing eleitoral “vende” o candidato para o eleitorado. Melhor dizendo: vende a imagem dele como a figura política que os cidadãos precisam naquele momento. Para gerar identificação e/ou empatia do público, a estratégia explora uma série de fatores tanto do candidato quanto do partido. Entre eles:

  • a imagem;
  • os valores;
  • as qualificações;
  • o histórico político;
  • a formação;
  • e a origem.

Nunca se esqueça de que essa é uma etapa fundamental no processo de tomada de decisão do eleitor, porque é a partir dele que a imagem pública dos políticos é construída e veiculada.

Com as dicas deste artigo, você conseguirá criar sua campanha de marketing eleitoral de maneira mais efetiva. Agora, mãos à obra!

Entre em contato conosco para conhecer outras estratégias capazes de garantir a vitória nas próximas eleições. Teremos prazer em lhe ajudar a alcançar esse objetivo!

Comentários

Comentários